Eles&Elas 306 – À CONVERSA COM OS EMBAIXADORES DOS EUA

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fomos conversar com os Embaixadores dos Estados Unidos e descobrimos um casal encantador que se mostrou muito apaixonado por Portugal.

 

Embaixador: Quando há 5 anos passámos por Portugal ficámos absolutamente apaixonados por este país ao ponto de pensar que, quando os nossos filhos tivessem terminado a universidade, Portugal seria um dos lugares no mundo que escolheríamos para viver por um período.Portugal roubou-nos o coração! Sabíamos que voltaríamos… e quando no final da campanha presidencial o nosso Presidente nos perguntou se desejávamos continuar a colaborar com a sua administração e eu respondi que sim e me perguntou o que gostaria de fazer, eu respondi imediatamente que gostaria de ser o Embaixador dos Estados Unidos em Portugal!” E aqui estou.
Senhora Embaixatriz, conte-nos como conheceu o Embaixador?
Embaixatriz: Nossas mães eram amigas mas nós, como vivíamos em cidades diferentes, só nos conhecemos na faculdade. Depressa nos tornámos bons amigos tendo só começado a namorar (dating), já eu era finalista e o George estava a trabalhar no Banco dos EUA. Dois anos após dating casámos. Vivíamos em Oregon. George estava a formar e desenvolver um negócio e como começavam a nascer os nossos filhos decidimos que eu deveria ficar em casa porque apesar de eu ter um ótimo emprego, mas que não pagava muito bem, não faria sentido ir trabalhar e pagar a uma “Day Care”. Fiquei então com os meus 3 meninos hoje já crescidos e muito felizes. Éramos um casal vulgar, como qualquer pessoa de negócios em Oregon e agora estamos nesta extraordinária posição, num país encantador e sentimo-nos muito abençoados e com muita sorte em aqui estar.
Embaixador, o que pensa dos portugueses?
Tenho grande apreço por Portugal e pelos portugueses que estão a conseguir sair de uma tremenda crise procurando externamente encontrar respostas e é maravilhoso fazer parte deste momento de crescimento tão valioso para o vosso país.

 

E QUANDO (…) O NOSSO PRESIDENTE (…)
ME PERGUNTOU O QUE GOSTARIA DE FAZER,
EU RESPONDI IMEDIATAMENTE QUE GOSTARIA DE SER
O EMBAIXADOR DOS ESTADOS UNIDOS EM PORTUGAL.

 

Falando de Portugal e do seu crescimento externo, gostaria de lhe falar da EDP
que está a investir milhões nos E.U.
Milhões? Milhares de milhões! A EDP fez um enorme investimento de dezenas
de biliões de dólares nos Estados Unidos, estando também no Brasil, Espanha e
noutros países da Europa, sendo hoje a terceira maior companhia de Energias
Renováveis dos E.U.A. Este trade é muito importante porque Portugal começará
a crescer dentro de pouco tempo, não só porque os Estados Unidos sendo um
dos maiores importadores de energia e gás natural liquefeito, dentro de uns 4, 5
anos Portugal poderá ser um grande exportador/distribuidor não só dos Estados
Unidos como da Europa e do mundo, digamos que quanto á energia poderá ser
uma Singapura do Western Europe.
Pode falar-me da importância da Nato no contexto atual? E os Açores?
Nato continua muito necessária. Com a Nato estamos a tentar contribuir para a
paz e a estabilidade no médio Oriente. E Portugal sempre teve um papel muito
importante nas ações da Nato como por exemplo agora na República Centro-
-Africana ou no Afeganistão. Quanto à Base das Lajes nos Açores, há um ou
dois anos que está com mais atividade pois, no contexto atual, é sem dúvida
um ponto chave para o equilíbrio de forças, ao encontrar-se no meio do Oceano
atlântico. Eu próprio já fui duas vezes visitar as Base Aérea das Lajes.
Como certamente conheceu bem o Presidente Trump gostaria que nos desvendasse
a sua maior qualidade.
Penso que uma das muitas qualidades do Presidente, talvez a maior e mais importante
é tentar levar os líderes á mesa para falar e penso que ele é realmente
muito bom nisso.
Para terminar gostaria que os Embaixadores deixassem uma mensagem para a
juventude portuguesa.
Embaixador: Digo para não serem envergonhados, ou humildes Agora a palavra
é oportunidade. Acreditem e aproveitem a oportunidade. Quando há anos estivemos
em Portugal o desemprego era mais ou menos 15%. Hoje é francamente
menor não havendo razão para irem embora mas sim para ficarem a ajudar
Portugal a crescer, porque há aqui boas oportunidades de bons empregos. Vão
estudar e formar-se que o emprego virá sem ser necessário abandonar o país.
Embaixatriz: Eu própria tenho tido encontros num Organização de Voluntariado
e tenho ficado muito impressionada com o alto nível da juventude portuguesa,
achei-os extraordinários: a sua formação, cultura, falando de projetos, de economia,
ou mesmo os seus sonhos, fazem-me acreditar que seria lamentável se
tivessem que abandonar este país devido a falta de emprego…
Desejam acrescentar alguma coisa? Sobre o que preferem em Portuga
Depois de tomar contacto com a realidade do trabalho como Embaixadores queremos
conhecer todos os cantos de Portugal de Norte a Sul e já estivemos em
Braga, no Porto, 3 vezes na Madeira, 4 vezes nos Açores e há dias na linda vila
de Óbidos.
Temos muito trabalho a fazer mas sabemos que será muito gratificante. Estamos
extremamente felizes com esta experiência!
E QUANDO (…) O NOSSO PRESIDENTE (…)
ME PERGUNTOU O QUE GOSTARIA DE FAZER,
EU RESPONDI IMEDIATAMENTE QUE GOSTARIA DE SER
O EMBAIXADOR DOS ESTADOS UNIDOS EM PORTUGAL

 

 

Deixe uma resposta