Eles&Elas305- O TEMPO VOLTA PARA TRÁS NO FIM DE 2018

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma nova Agenda é um ”livro” essencial para o nosso dia-a-dia. Chega o tempo de olhar para o futuro como um assunto sério e fazer algumas previsões. Acaba um ano e que fazer com a agenda que agora encerrou? Eu guardo as agendas há muitos anos e gosto de as ter numa caixa, nem sei para quê. Com a chegada da Internet mudou tudo mas os tempos normais devagarinho voltam para trás e eu não prescindo da minha agenda na carteira…. e o computador não faz muita concorrência nalguns registos. Os projectos, o dinheiro, as coisas que nos pedem e os imprevistos irão preenchê-la com mais um ano de vida. Não há teorias nem abstracções. A Agenda no princípio do ano é um a companhia séria que nos propõe linhas orientadoras que nos fazem pensar em aspectos da nossa vida e talvez formatá-la e criar alguns projectos. Há que encontrar uma direcção e tomar atitudes.

Em Janeiro do ano passado tive almoços com bons amigos, a Gisela, a Filomena, Miguel Nunes, Carmo. Fui ao programa da TVI em conversa com o Goucha. Fui a médicos vários fazer o check ups, jantares no Grémio Literário e consultei a SPA. Recuperei um pequeno gravador que me apoia como registo de ideias, de projectos. Foi um mês marcante e também uma amostra de como os tempos mudam e mudam-se as
vontades. Em Fevereiro tive na Universidade Lusófona, um belo cerimonial de atribuição dum prémio ao
grande poeta italiano Corrado Calabró que ama Portugal e lançou um livro de poesias traduzido na nossa língua. Foi um sucesso e de seguida o Embaixador de Itália em Portugal convidou-nos para um jantar de homenagem ao poeta naquele maravilhoso espaço, Palácio Pombeiro, que é a belíssima Embaixada em Lisboa e a gastronomia não podia ser mais requintada. Um dia depois partia eu para o Porto para os anos da minha cara amiga Maria Augusta Osório de Castro já de há muito conhecida pelas grandiosas celebrações de aniversário com convidados de todo o País. A arte de receber no Porto, é notável. Desta vez a festa foi no Club de Leça.

De regresso a Lisboa tive um almoço no Ritz com o editor Jaime Cancela de Abreu para preparar um novo livro que veio a ser lançado e do qual falarei e recomendarei. Fui aos anos da minha queridíssima amiga Leonor Stau Monteiro, numa das casas mais belas e acolhedoras desta cidade, mal sabíamos que dentro de pouco tempo ela nos deixaria. Não a esquecerei pela sua bondade e beleza. Continua a fazer-nos falta. Poucos tempos depois ainda neste mês o grande intelectual da nossa cultura, Pedro Passos Canavarro lançava um livro no Museu de Arte Antiga, muito concorrido. Belíssima ideia esta. Adorei. Entretanto almocei num grande restaurante do Chiado com a minha amiga Clementina Paiva, interessantíssima
personalidade. Como às 3as feiras houve mais um chá delicioso no Grémio organizado tradicionalmente pela Palmirinha Fino. Muito divertido, com mulheres mais velhas e apreciáveis. E no fim de semana partimos para uma grande quinta na Lousada a convite do primo José Fortes da Gama, na simpática companhia do casal Poças Pereira. Foi uma animação memorável. E no fim de Fevereiro estivemos presentes na inauguração da BTL. Valeu a pena.

O Turismo português não pára. E com o tempo a passar acumulam-se as memórias de agradáveis al-moços em casa da família Vilela, em Cascais, com a querida Galerista Ana Dâmaso e muitos são os jan-tares sociais e culturais no Grémio Literário. Até que chegam as razões para as grandes viagens, como Nova York onde se matam saudades com a família mais chegada e amigos queridos e de notáveis car-gos culturais. Regressando a Lisboa, lá vou eu para o Algarve dar as aulas as minhas queridas alunas da Hopelanda que a Patricia Dominguês criou com sucesso há tantos anos. E estacionada em Lisboa mandou a Agenda idas à Embaixada de Itália, Co-cktails na Cordoaria com arte, a maravilhosa festa dos 80 anos da Madadena Bras Teixeira no Palácio Fronteira , jantares no Gremio, Lanches com a família no Hotel do Chiado, jantares com amigos como a Cle-mentina Paiva, o Mário Chiapetto, almoços na Garrett em Cascais com bons amigos e a bela viagem com a família d’Orey em peso a Berlim, visitando a casa do seu famoso antepassado da Prússia. Mais jantares a convite do Patrick Degryse, presidente do American Club. Desfiles de moda no El Corte Inglês a convite da amiga Susana Santos. E mais idas ao jardim do Gremio e as belas sardinhadas. Muitas foram as vi-sitas culturais ao Museu de Arte Antiga e ao Palacio da Ajuda, cujos directores são extraordinários. Mais umas idas às televisões por motivos de trabalho para falar do meu novo livro, TVI Você na TV, à Record e a outros canais e blogs curiosos. Dias Nacionais de Luxemburgo, Turquia, Japão, não podiam falhar. E mais almoços em Cascais com queridas amigas e a grande festa de 80 anos da Ana Maria Caetano que foi estrondosa, no Palacio da Cruz Vermelha onde nem Marcelo falhou. Cocktails no Farol Hotel cuja anfitriã Ana Maria Tavares recebe maravilhosamen-te ali mesmo à beira mar. Tambem convidei para uns jantarinhos simpáticos alguns grandes amigos e lá viajámos desta vez para Madrid onde os Museus e Palácios nos solicitaram.

De regresso foi o tempo dos convites para casamen-tos. Festas de sonho como o da Gabriela Faria de Oliveira, e outro estrondoso casamento de um impor-tante amiga angolana que escolheu o Palácio do Be-ato e de vários outros sobrinhos, festas magnificas e memoráveis sem deixar de referir um muito especial da minha amiga Margarida Ruas, em Colares. Foi um esplendor. E o Miguel Freitas da Costa celebrou um linda festa dos 50 anos de casados no jardim Palacio da Ajuda. E o Jantar de anos do Salvador Correia de Sá, a exposição da grande artista Leonor Asseca. E os diversos jantares de despedida do casal Hiroaki Sano que lá partiram para Tóquio , que saudades. Mais um aniversário do António Ponces de Carvalho, umas idas à habitual Moda Lisboa que nunca perco, os almoços da Filomena Soares na paradisíaca casa de Porto Covo, e o desfile de Fátima Lopes no Hotel Pestana Palace que foi um estrondo. Jaime Cancela de Abreu, editor da Prime Books propôs o lançamento do meu livro mais recente EDUCAÇÃO QUEQUE que teve alem desta belíssima apresentação no Grémio, uma outra na tradicional Bertrand do Chiado. Surgiu a ideia de oferecer os ganhos deste meu livro a Fun-dação UFFI da Elena Ravano Calheiros para apoio a uma importante causa: investigação para a cura da doença de surgiu nas suas duas amorosas filhinhas, a Ictiosis. Ela muito agradeceu e eu pessoalmente ainda mais pois fazer um livro dá muito trabalho e destiná-lo a uma causa que não sejam os lucros, fe-z-me bem ao coração. Entretanto conclui um outro livro que laçarei em breve com a querida Filomena Soares “Wedding Planner e Protocolo”. E também fui à bela festa no Casino do Estoril da Clinica Milénio, fui ao Jantar dos Conjurados onde conheci novos amigos , fui a Sopas Solidárias, aceitei o convite da Fundação Ricardo Espirito Santo ver belíssimos tra-balhos de decoração, Não me faltaram os cocktails do Jorge Welsh, no CCB, Jantares na Casa de Veva de Lima e outros tantos simpáticos almoços e jantares com amigos queridos como foi o da Margarida Prieto, Eduardo Santos Silva, primos d’Orey……. Foram 365 dias. Bem vividos, e sempre próxima da Eles e Elas, da querida Luz Bragança que me propôs este apreci-ável mas apressado registo. Perdoem algumas falhas mas as Agendas são o que são: humanas. E errar é humano. Até já.

P.B.

Deixe uma resposta